Meu Perfil
BRASIL, Norte, MANAUS, MONTE DAS OLIVEIRAS, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, Música, Livros



Histórico


    Categorias
    Todas as mensagens
     poemas
     Cartas de Amor


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Para ser grande, sê inteiro - Klenicy
     Mi Casa, Su Casa - Bia
     Blog da Bia
     A toca do mocho velho, por José
     Maga Patalógica - por Renata Leite
     Blog do Alex
     Gavetas e Janelas
     Inquietacoes
     Mentiras Históricas - por Cláudia
     Sensível Desafio
     Stalingrado 2 - rafael
     Olhos de ver a vida
     Aprender a Cidadania
     Na Cafeteria
     Zeca Camargo
     O Poço e a Mola
     Prestenção!
     Rumor de Anjos - Blog da Laysa
     Stalingrado III
     Blog da Neila
     Jornal das pequenas coisas
     Blog da Line
     Blog da Maylaa


     
    Experimentando-me


    Saímos abraçados na madrugada, como se já não fosse possível viver um sem o calor do outro, como se todas as coisas se resumissem no fundo de teus olhos quando eu os miro assim tão perto dos meus.

    Havia a chuva caindo nos telhados e o vento chacoalhava a cidade, mas nada era impossível para nós: a minha força se resumia em estar junto de ti, como se duas fragilidades unidas pelos laços do sonho pudessem enfrentar mesmo as garras certeiras da guerra.

    Mas no fundo, nosso amor era como uma casa construída ao pé da montanha, fadada a ser arrasada por uma avalanche a qualquer momento.

    Dias depois, amanheceu. Olhei nos teus olhos e já não havia nada, nem teus braços me aqueciam como antes. A chuva levou os telhados, algumas vidas e o meu amor por ti.

    No fim das contas, duas fragilidades, mesmo unidas, são tão poderosas quanto os dois espinhos de uma rosa.



    Escrito por carlos às 15h32
    [] [envie esta mensagem] [ ]




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]